sexta-feira, 18 de março de 2011

Parábola do Delegado Esperto

Chegou a "Eva" na delegacia para dar explicações sobre uma grave acusação. O "Escribão" escreveu (eis que está escrito):

" que a acusada afirma ter sido seduzida por uma certa serpente...
que comeu uma fruta proibida...
que "Deus" lhe deu um filho...  o Caimzinho."

O delegado, que não era bobo, achou aquele papo da "elementa" meio estranho. Tipo "um migué",  e como não tinha nenhuma no escrivão , nem na acusada, mandou prender a dita por mentira, desacato e desrespeito à autoridade.

Mandou fazer um exame de DNA pra descobrir a paternidade do guri.
No DNA do guri foi encontrado o gene da mentira e do homicídio, e finalmente foi descoberto o pai da criança que havia sido amaldiçoada pelo pai a andar errante pela terra e tornar-se um highlander imortal, segundo a versão da acusada.

A idéia do acusador era matar os dois com água, depois de um julgamento sumário, mas o desgraçado do menino e sua mãe escaparam por pouco, protegidos por uma mulher, quero dizer: Ave de Rapina. (segundo versão do acusador que consta dos autos)

2 comentários:

Clenio Daniel disse...

Bela postagem amigo!!! Deus te abençoe e te prospere!!!

Ronald disse...

O "deus" que abençoa e prospera é aquele outro: aquele que tudo dá aos que prorstrados o adoram.

Um dia cai a ficha, mas obrigado pelo elogio.