sábado, 9 de junho de 2012

Morte ou Descanso




Do ponto de vista da bíblia, este assunto é infernalmente confuso, até por que na linguagem oculta ou alegórica ou ainda parabólica que abunda na bíblia, até o deus Jeová morre ou descansa no último dia, do contrário não precisaria de herdeiro...

Mas não se “avexem”. Dependendo da leitura, e dos pressupostos, a maioria de vocês tem razão.

Os teólogos e teóricos evangélicos tem razões "irrefutáveis", da mesma forma que os Adventistas, TJs e outros Bibliãos que abundam por aí.

Imagino que a entidade que inspirou as letras deva estar bastante satisfeita com a confusão criada e com o ódio e sectarismo por ela provocados.

Não apenas eu tenho sido alvo do ódio, ainda que velado, manifestado com todas as letras por parte de zelosos defensores da escritura. 
O ódio come solto entre dignos "pastores" e donos de rebanhos que compõe o mercado religioso, cada qual puxando a brasa para seu assado entendimentário.

De fato, os assados, são as próprias ovelhas , cujas carnes e peles servem de alimento aos lobos vorazes em que se tornaram os principais líderes de seitas evangélicas.

Bem aventurados aqueles que ainda que presos à escritura, buscam refúgio fora dos currais e prisões, onde tinham suas mentes cauterizadas diuturnamente, e procuram viver a chamada "simplicidade do evangelho", que de simples não tem nada, posto que precisa se desvencilhar de todo entulho escriturístico sem, no entanto, abominá-lo.

Se pelo menos "ouvissem" a escritura, saberiam que a verdadeira religião é o AMOR. Não o amor daquele que repassa para o pai a tarefa de perdoar, e este, como sabemos “pela escritura”, jamais perdoa, mas exige sangue,  ainda que seja do próprio filho. 
Pois esse deus, em outro momento, me poupem a citação, repassa para o filho “bondoso”, a tarefa da condenação e do julgamento, e este o faz segundo a vontade do pai: com ira, vingança, matança e destruição.

Não se enganem.

Esse amor do Jesus Cristinho judaico/saulino, é tão falcatrua quanto seu portador.

Se há, de fato, algum amor verdadeiro, este se dá em apenas uma direção: do Absoluto para o relativo, pelo qual este talvez venha a ser  absolutizado e reconciliado juntamente com todo o universo que conhecemos.

A VERDADEIRA LUZ, dissipa as trevas e não se esconde no meio delas.

Cai a ficha? 

4 comentários:

SOMOS COMO O VENTO disse...

Olá Ronald!

Tenho lido o seu blog e já vi quase todos os videos (se não for todos) postado no youtube.com, os quais você tirou de cena. Tenho compreendido melhor sobre muitas questões do velho e do novo testamento. Agora só me explica esta questão abaixo que você postou:

Esse amor do Jesus Cristinho judaico/saulino, é tão falcatrua quanto seu portador.

O que significa o que você disse Jesus Cristinho.

Ronald disse...

Precisei tirar de circulação os vídeos pois se tornaram obsoletos diante do avanço dos discernimentos.

Quanto ao Jesus.

Para mim, foi o último dominó que caiu.

Minha conclusão final, é que não existe essa coisa de filho-de-deus.

Ou seja, o Jesus bíblico faz parte da articulação do falso deus para subjugar a humanidade.
É isso que quero dizer com Jesus Cristinho falcatrua.

É como falar mal da Madre Tereza de Calcutá, ou do Ghandi, só que numa potência muitíssimo mais elevada.

O pecado mortal.

Questionar o Jesus histórico é tentar penetrar o portal proibido, intransponível no qual há uma ameaça de morte, mas capaz de colocar o indivíduo em liberdade das prisões e jugos da letra e do letrista mor.

Passei o portal, e vejo a liberdade. Numa coisa ele estava certo. A verdade liberta.

dalmar disse...

Ronald, concordo plenamente quando diz: "O Jesus biblico faz parte da articulação do falso deus para subjulgar a humanidade." Com certeza modificaram a história de um homem justo e simples para torna-lo um Deus todo poderoso, e com isso tirar vantagens roubando, enganando e ainda ameaçando a humanidade com castigo, inferno, etc
Parabens pelo seu blog

Ronald disse...

Obrigado!