sábado, 1 de maio de 2010

Mateus, o legalista "convertido"




Seria Mateus o mais legalista dos evangelistas?

Seria porque ele é o próprio "cobrador de impostos" "convertido"?

Quando a ficha cai, certas coisas passam a doer no ouvido...

Quando as pessoas dizem: "Jesus diz em Mateus" ... é de cravar... o cara de novo na cruz.

Já que o assunto é julgamento, julguemos a questão:

Esse assunto de "conversão" é uma mentira do diabo.

Como o cristão jamais discerniu o EVANGELHO (por causa da bíblia), todo o convertido é um novo-fariseu. Novo fariseu é o mesmo que novo diabo, eis que no meu entendimento, o fariseu sempre é uma figura do diabo,cobrador de impostos, a saber: o acusador com o livro na mão.

Este presume-se salvo, ou ainda, tem certeza da salvação por conta de uma fé que tem certeza da condenação eterna para aquele que não tem a mesma fé ou o mesmo entendimento.

Um caso:

Estes dias morreu assassinado o parente de um conhecido. Este conhecido, é um cara "crente", músico, zeloso da lei, mau funcionário, mentiroso como todo homem. Um cara normal para os padrões evangélicos.

Pois a morte, suspeita por sua natureza, causou comoção e pavor na comunidade evangélica à qual o rapaz estava vinculado.

Tal vinculação, no caso de uma igreja tradicional que inclui batismo e rol de membros, seria negada terminantemente, pois a vítima já teria sido expulsa ou excluída do rol de membros pelos acusadores e legalistas imbuídos da tarefa de manter "limpo" o rebanho.

Não creio que tenha sido esse o caso, e não interessa.

O fato é que eu perguntei ao amigo "crente de carteirinha".

E aí... o cara foi pro inferno ou foi pro céu.

A resposta incrédula e farisaica que ouvi foi.... Só pela graça... por que ele não estava firrrrme...


Aí o des-graçado, algumas horas mais tarde, foi demitido por fraude no trabalho.


De onde eu concluo, só pela GRAÇA mesmo.

Mas o assunto aqui é questionar o testemunho desse evangelista.

"Casualmente", o sermão do monte, deixa o Moisés no chinelo em termos de rigor comportamental.

Os detalhes acerca do nascimento de Jesus e sua filiação e genealogia terrena, corroborados por dois outros evangelistas que não são a testemunha fiel se encarregam de congelar num passado "histórico" aquele que em tese, seria  eterno.

É interessante notar que João não conta nada disso. João conta uma História em macro, onde certos personagens são confrontados por Jesus, e com e para os quais Jesus realiza sua obra. Se observarmos atentamente, o relato de João parece cobrir a trajetória inteira desta humanidade, culminando com a suposta redenção.

Bibliólogos tentam separar as figuras do João Evangelista e do João, autor do Apocalipse. Como saber?

Mas como o peixe morre pela boca, o mentiroso também morre por ela.

Ao final, a mentira aparece e a verdade prevalece.

Vejamos:
A propósito do Mateus e seu "pai nosso",
veja a perversão que esse sujeito faz.

Segundo ele Jesus mandou orar assim. Pedir o pão físico, material. O mesmo pão que o diabo ofereceu a Jesus. Estaria ele mentindo?

Em seguida ele aplica um golpe fatal na humanidade. Exige que o homem peça para ser perdoado na medida em que ele mesmo perdoa aos seus devedores.

Isto, obviamente, lhe é impossível.

Esta oração do Pai Nosso é a mais condenatória que existe.

Por que será que Jesus teria mandado orar isso? Seria ele, na verdade, o próprio enganador?
Aquele que se faz passar por Deus?

Lamento informar, mas isto é dolorido.

Mateus é mais um mentiroso se fazendo passar por testemunha fiel.

Sutil o des-graçado.

4 comentários:

digfil disse...

Caro, Ronald...

No "evangelho de JOÃO", Jesus supostamente teria dito: "E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus."

é Jesus quem de fala, por João, em condenação aqui.

Ronald disse...

João faz um relato em macro da obra de redenção.
João fala de coisas espirituais.
João não fala com personagens congelados no passado.
Está falando com os personagens primordiais e suas gerações.

Quando ele fala que quem não crê já está condenado, está falando com o condenado mor da criação, a saber o diabo.
Sim, Nicodemos é o diabo. O cara das trevas, da noite, o cara que não pode nascer de novo, pois não é nascido da carne, é espírito.

A Verdade de João se dissipa no meio das mentiras dos demais, tanto que não é discernido em seu discurso e relato.

Procure os 7 personagens primordiais os quais Jesus confronta um a um.
Tá lá em João.
Os nomes não são os mesmos que Moisés deu.

SamhyaFairy disse...

Querida criatura,...
Venho através desta fazer com que você se lembre de algumas passagens bíblicas.
Jesus disse : Que se nós não nos tornarmos como crianças (semelhantes), não herdaremos o reino do céu.
Lhe pergunto, por que?
Porque somente elas tem a capacidade de ser ofendidas e perdoar minutos depois; Este é o exemplo para os seguidores de Cristo, dar o perdão.
Para você pode parecer impossível pelo fato de você não ter ou nem se quer conhecer o Espírito Santo, pois é Ele que nos capacita a perdoar.
I Cor 13, nos ensina que sem amor é vã a nossa fé.
Pb. Evaldo

Cristiano Cabral disse...

Meu caro Ronald...
Sempre desconfiei de várias passagens da bíblia mas não conseguia entender o que estava errado pois não podia criticar a palavra de DEUS.Mas graças a DEUS ele não tem nada haver com a perversão dos pecadores que falavam dele e por ele,só JESUS é a verdade!
Grande abraço!